Ordem Equestre do Santo Sepulcro: objetivo é amar ao próximo, diz Papa

641

Francisco encontrou-se nesta sexta-feira, 16, com cavaleiros e damas da  Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém

Da redação, com Vatican News

Papa Francisco e membros da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém/ Foto: Vatican Media

Papa Francisco concluiu sua série de audiências, na manhã desta sexta-feira, 16, recebendo na Sala Clementina, no Vaticano, os participantes da Consulta da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém, na conclusão da sua reunião quinquenal. Em seu discurso, o Papa saudou o Grão-Mestre, Cardeal Edwin O’Brien, e os membros do Grande Magistério, com os tenentes das nações e dos lugares onde a Ordem Equestre do Santo Sepulcro está presente.

Ao agradecer toda a família de Cavaleiros e Damas, provenientes de diversas partes do mundo, pelas inúmeras atividades espirituais e caritativas que realizam em prol dos povos da Terra Santa, Francisco afirmou que a Instituição pontifícia está sob a proteção da Santa Sé.

“Aqui no Vaticano, vocês se encontram, de certa forma, em casa (…). Desde a última Consulta, a Ordem contou com o aumento do número de seus membros, a expansão geográfica, a assistência material à Igreja na Terra Santa e o número de peregrinações dos seus membros. Agradeço-os por apoiar programas de utilidade pastoral e cultural e encorajo-os a continuar seu compromisso, juntamente com o Patriarcado Latino, sobretudo por enfrentar a crise de refugiados, que levou a Igreja a dar uma resposta humanitária significativa nos últimos cinco anos”, frisou o Pontífice.

O Santo Padre afirmou ser um bom sinal que as iniciativas do grupo no campo da formação e da assistência, e no campo da saúde, estejam abertas a todos, independentemente das comunidades a que pertencem e das confissões religiosas. “Vocês ajudam a aplainar o caminho para o conhecimento dos valores cristãos, a promoção do diálogo inter-religioso, o respeito mútuo e a mútua compreensão”, comentou.

O Papa expressou seu apreço pelo esforço do grupo de contribuir para a construção do caminho para a conquista da paz em toda a região médio-oriental. “É importante não esquecer que o objetivo principal da sua Ordem é o crescimento espiritual de seus membros. Portanto, qualquer sucesso das suas iniciativas não pode ser separado de programas apropriados de formação religiosa dos cavaleiros e damas. Além do mais, sua tarefa como líderes é dar exemplo de intensa vida espiritual e adesão concreta ao Senhor”, sublinhou.

Quanto à missão da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém, o Pontífice frisou não se tratar de uma agência filantrópica, que promove uma melhoria material e social dos destinatários, e sim uma instituição que tem como centro, e como objetivo final das suas obras, o amor evangélico ao próximo, que testemunha, em todos os lugares, a bondade e o cuidado de Deus por todos.

“A admissão na Ordem de bispos, sacerdotes e diáconos não deve ser uma honra, mas faz parte do seu serviço pastoral de ajudar os que têm responsabilidades, proporcionando momentos de oração comunitária e litúrgica, formação espiritual permanente e catequética para o crescimento de todos os membros da Ordem”, frisou o Santo Padre.

Francisco concluiu seu discurso recordando a dramática situação dos cristãos perseguidos e mortos. Além do martírio no sangue, o Papa afirmou, haver também o ‘martírio branco’, como o que acontece em países democráticos, quando a liberdade de religião é limitada.

“Na sua obra de ajuda material às populações tão severamente provadas, peço-lhes que se lembrem sempre deles na oração, invocando constantemente Nossa Senhora, que vocês veneram como ”Nossa Senhora da Palestina. Ela é a mãe zelosa e a ‘Ajuda dos cristãos’, para os quais obtém do Senhor a força e a consolação na tristeza. Invoquemos a intercessão de Maria pela Igreja na Terra Santa e no Oriente Médio”, finalizou o Santo Padre.