2º Domingo da Páscoa – Eterna é a sua misericórdia!

Jesus ressuscitado faz brotar, de suas chagas gloriosas, um manancial de misericórdia!

232

A força da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo transforma toda a liturgia da Igreja, que passa a se dedicar, nestas semanas que nos separam da Solenidade de Pentecostes, à meditação da experiência dos discípulos com Jesus ressuscitado. Contudo, para além de vermos como a novidade da ressurreição foi recebida pelas primeiras comunidades cristãs, este Tempo Pascal deve ser para nós um encontro concreto com o Senhor que venceu a morte.

Essa concretude da presença de Jesus ressuscitado está ilustrada na passagem do livro dos Atos dos Apóstolo que meditamos neste domingo. Eles não eram apenas um grupo de pessoas que tinham uma crença em comum, mas eram “um só coração e uma só alma” (At 4, 32). Tal união, capaz de comprometer o ser inteiro, inclusive na partilha dos bens materiais, não seria possível sem a presença de Jesus, que, ao vencer a morte, vence também todo o egoísmo humano e as divisões dele decorrentes.

Superado, portanto, o homem velho com seus vícios, é necessário que este homem novo, redimido por Cristo na cruz e associado a Ele em sua ressurreição, trilhe agora um novo caminho. É por isso que São João adverte, em sua primeira carta, que “quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos” (IJo 5, 2). A observância dos mandamentos é, para o homem novo, não um fardo pesado, mas um caminho de amor a ser trilhado com alegria e confiança.

De fato, este novo caminho não é trilhado pelo homem sozinho. A presença de Deus, certa e constante, não abandona aqueles que decidem caminhar com o Ressuscitado. Ao proclamarmos que “Eterna é a sua misericórdia!” (Sl 117), estamos reconhecendo que cremos que este Deus que nos salvou da morte nunca nos abandonará. Em verdade, estamos rezando, como nos ensinou Santa Faustina: “Jesus, eu confio em vós”.

Que neste dias do Tempo Pascal, caminhando com Jesus vitorioso, possamos fazer a experiência de Tomé, para que não sejamos mais incrédulos, mas fiéis (Jo 20, 27). Cristo ressuscitado seja nossa luz e esperança, para que caminhando hoje na alegria de sua Páscoa, alcancemos um dia as alegrias eternas ao seu lado para sempre.

Virgem Maria, Rainha do Céu e Mãe do Ressuscitado, rogai por nós!