4º Domingo da Quaresma – Era preciso, para que as obras de Deus se manifestassem!

Diante de grandes males, como a cegueira ou o coronavírus, não podemos esquecer que tudo é oportunidade para a manifestação da glória de Deus!

186

Na caminhada com Jesus, os discípulos passaram por um homem cego de nascença. Ao se depararem com o sofrimento humano, com a tristeza impregnada na vida daquele mendigo cego “que ficava pedindo esmola” (Jo 9, 8), os discípulos imediatamente associam aquela condição ao mal e perguntam: “quem pecou para que nascesse cego?” (Jo 9, 2). No entanto, Jesus corrige a visão distorcida dos discípulos e revela que o amor providente de Deus se sobrepõe a qualquer doença física ou espiritual.

A cegueira física daquele homem, como esclareceu Jesus, era a oportunidade “para que as obras de Deus se manifestem nele” (Jo 9, 3). De fato, a partir daquela cegueira, Deus realizou dois milagres. O primeiro, na dimensão física, foi devolver a visão daquele mendigo, que testemunhou perante os fariseus: “eu era cego e agora vejo” (Jo 9, 25). O segundo e maior milagre, na dimensão espiritual, foi o milagre da fé, que fez aquele homem professar :”Eu creio, Senhor!” (Jo 9, 38).

Neste tempo difícil em que vivemos, no qual nossas comunidades experimentam a impossibilidade de se reunirem fisicamente devido à pandemia do COVID-19, convém superarmos a nossa cegueira e procurarmos enxergar tudo o que estamos vivendo com os olhos da fé. Não seria essa, também, uma oportunidade para que as obras de Deus se manifestem?

Em verdade, estas obras já se manifestam: nas redes de solidariedade que estão sendo construídas entre homens e mulheres no mundo inteiro, no amor à vida dos idosos e daqueles mais vulneráveis que frequentemente eram esquecidos, na recuperação do hábito da oração comum entre familiares e amigos com o uso das redes sociais, no sentimento de unidade que nos faz reconhecer que somos todos irmãos…

A glória de Deus já está se manifestando e se manifestará, com ainda maior intensidade, pela força das nossas orações. Por isso, rezemos sem cessar pedindo a Deus o alívio dos que sofrem, a fortaleza aos profissionais da saúde e a sabedoria aos governantes e aos pesquisadores. Que a misericórdia divina venha em nosso socorro, nos livre dos males presentes e nos alcance, o mais breve possível, o controle desta pandemia, para que juntos louvemos ao Deus que por nós faz maravilhas.

Virgem Maria, Saúde do Povo de Deus, rogai por nós!