3º Domingo da Quaresma – A sabedoria da Cruz

Utilizando-se da imagem do templo, Jesus confunde os "sábios" e nos apresenta o projeto do Pai

797

A cruz de Cristo adquire cada vez mais centralidade na liturgia quaresmal. Neste domingo, através de uma afirmação acerca da destruição do templo, cujo verdadeiro sentido está escondido, Jesus quer preparar o nosso coração para entender os desígnios da sabedoria divina. É hora de abandonarmos o raciocínio humano, que olha para cruz como escândalo, e nos concentramos no plano divino, que passa pela cruz para alcançar a ressurreição.

Resultado de imagem para deus mandamentos moises iconeJá no Antigo Testamento, Deus preparava seu povo com a revelação dos mandamentos. O homem necessita de Deus para conhecer a verdade; e Deus, por misericórdia, expõe para nós a sua sabedoria de forma prática: ensinando-nos como viver. Manifestando toda a sua santidade, pois ele é “o Senhor teu Deus”(Ex 20,2), o Pai desvela os seus preceitos, permitindo que todos nós saibamos como cumprir a sua vontade.

O seguimento dos mandamentos de Deus é levado até o seu fim último na cruz. Em Cristo, a vontade do Pai se realiza inteiramente. Por uma obediência irrestrita, Cristo não só vive conforme a lei revelada ao povo hebreu, elevando-a à perfeição, como também aceita livremente tornar-se sacrifício de redenção por todos os pecadores que se afastaram da vontade do Pai. Este ato gratuito de amor incondicional somente pode ser aceito pelo pobres e humildes. Os poderosos e sábios desse mundo não o compreendem, pois “o que é dito insensatez de Deus é mais sábio do que os homens” (1Cor 1, 25).

Imagem relacionadaÉ preciso, portanto, que nós cristãos abandonemos as perversas sabedorias desse mundo, voltadas para a riqueza, para o prazer e para o poder, e nos voltemos para a única sabedoria capaz de gerar em nós a vida eterna: a sabedoria da Cruz. Lembremos que somente Jesus “conhece o homem por dentro” (Jo 2, 25), razão pela qual somente n’Ele podemos encontrar o que o nosso coração realmente deseja.

Esta mudança radical de horizontes, saindo do olhar para o mundo em direção ao olhar para a cruz, pode significar em nós algo tão assombroso quanto a destruição do templo para os judeus. Todavia, tenhamos coragem! O Senhor tudo reconstruirá, fundando esta nova vida em si mesmo, para edificar em nós um templo muito mais majestoso que qualquer obra humana.

Virgem Santíssima, Mãe do Perpétuo Socorro, rogai por nós!